24 de set de 2004

Pessoas de gosto duvidoso como o meu deveriam ser proibidas de sair de casa quanto estão com preguiça. Fui comprar pão e levei muitos olhares de repreensão. E olha que o forte dos belgas passa longe do senso estilistico.

Resolvi me matricular no ultimo nivel da escola de holandês que frequentava antes. Meu curso de holandês normalmente termina no final desse mês, mas eu não queria perder o contato com professoras de holandês (pra tirar duvida nas horas de aperto) e também não queria perder a oportunidade de conhecer outros estrangeiros, o que eu considero a experiencia mais valiosa quando você frequenta aulas desse tipo.

Somos em quatro: uma freira encapuzada da Martinica, um senhor que tem cara de caminhão de japonês, mas eu acho que deve ser de algum país com final "ão", uma congolesa OTEMA e eu, claro. Falo que a congolesa é otima porque a freira e o homem são chatinhos. Não, não é só uma questão de referencial. A congolesa é realmente muito simpatica e engraçada.

E por falar nela, a coitada tomou um susto quando me perguntou de onde eu era: "o que? Brasil ? Mas você é tão branquinha!" Eu ri, claro, e complementei dizendo que a minha bela cor azul é resultado dos escassos raios solares que atingem esse planeta chamado Bélgica.

Pois que eu perguntei pra moçoila o que ela tinha pensado antes em relação a minha nacionalidade. Senti que ela ficou sem graça e acabou soltando um "russa". Mas eu sei que ela pensou que eu fosse de algum país arabe, mas por razões obvias preferiu "não me deixar chateada com a opinião". Claro que eu não ficaria chateada e essa nem seria a primeira vez. Na verdade, eu morro de curiosidade pra saber o que os belgas pensam quando me veem. Sera que eles concluem a mesma coisa? Eu não me acho com cara de nada, mas se eu tivesse que chegar a alguma conclusão, chutaria algo do tipo por conta dos meus zolhão.

Por que não inventaram ainda uma gravador de pensamentos? Dirigi da padaria até aqui pensando em milhares de coisas diferentes, encadeando um pensamento atrás do outro numa linha mais ou menos lógica. Chegando na frente do computador, fica dificil de relatar. Imagina que maravilha se pudessemos enfiar o dedo na narina esquerda e imprimir numa tira de papel de um centimetro as palavras-chave dos ultimos dez minutos de pensamento? Ou na narina direita e imprimir a ultima meia hora? Como diz mamãe, o homem vai a lua, mas não sabe ainda como comer uma manga sem se lambuzar... puff

Agora nessas aulas de holandês (que acontecem só uma vez por semana) estamos aprendendo um pouquinho de dialeto. Tsc tsc tsc.. Um exemplo :
Ik zou (eu gostaria) - holandês padrão
Em dialeto: k'sum.
Hummm... Então tá bom! Depois eles não entendem porque muitos estrangeiros não querem aprender uma língua que no dia a dia eles não tem como usar. Lembrando: você aprende holandês padrão na escola, mas na rua todos falam dialeto. E a cada 25km, o dialeto muda.

O Daan voltou da Grécia e me trouxe uma pasta de azeitona. Ah, que coisa maravilhosa! Também me trouxe sabonete de oliva, azeite e melancia. Acreditem! Ele trouxe uma melancia...hohoho. E digo pra vocês: essa é a primeira melancia que como aqui que tem gosto de melancia.

Coisas que me deixam feliz :
- lençóis de algodão limpinhos e cheirosos
- melancia geladinha
- sabonete. Adoro sabonete!
- Salada de alface, tomate, cenoura raladinha com muito azeite de oliva.

Então vocês já sabem que meu humor melhorou bastante nos ultimos dias.
E tenho dito!


Blog: Cala-te boca!