4 de mai de 2004

A Claudia mora na Finlandia (vao la' olhar no mapa!) e quando li este post lembrei do Rio e de Sao Paulo....

Estou super cansada, mas o ocorrido de agora eu fiquei com vontade de contar.

Fui visitar um casal de amigos ingleses, a Clare e o Matt, tava ótimo! O Matt fez um jantar delicioso, e ficamos naquelas conversas que vão engrenando uma na outra e não param nunca! Com mímicas, risadas e muito vinho.
Ficamos tão entretidos na conversa que eu esqueci dos horários dos ônibus (vocês sabem, não estou muito acostumada com essas coisas... Fico sempre achando que o Kadetinho preto ta na porta :). Dai fomos correndo olhar na internet se ainda tinha algum ônibus: o Matt disse - se vc sair correndo agora, entrar na Helsinginkatu e virar na segunda a direita voce pega o ultimo tram! (Os trams são uns negócios parecendo uns bondinhos só que com aparência hi-tech, depois eu acho uma foto.)

Ok! La fui eu em desparada!!! Quando cheguei no ponto esbaforida eu vi um tram e entrei. O motorista falou um troço em finlandes e eu com preguiça de explicar que não falava finlandes e blablabla, só fiz: Iô... iô... (é o "tá, tá" deles). De repente o tal do tram entra numa garagem cheia de outros trams e o motorista vai embora.
Desacreditei! Lá estava eu no ponto final dos trams, que eu não fazia a mínima idéia de onde era, pensando em como voltar pra casa. Pensei em pegar o celular e chamar um taxi, mas eu só tinha 5 euros em moedinhas na carteira. No mapinha que eu levo na bolsa, só tem a área central de Helsinki, não dava pra eu me achar nele... Sai andando, tentando usar o meu péssimo senso de direção.

Andei muito! Mas fui desfrutando... pensava no quanto era especial estar perdida, andando por ruas e lugares que eu nunca tinha passado antes, sem saber ao certo se estava no rumo, mas com a certeza de que nada de muito ruim poderia me acontecer. Andando e dobrando esquinas quase que aleatoriamente... por instinto, vontade ou curiosidade... não importava.
Num dado momento eu achei um ponto do tram 3B, ele só ia passar às 6:00hs da manhã, mas como eu sei que ele passa pelo centro, resolvi ir seguindo os trilhos. Passo acelerado prá me manter aquecida, entre o gorro e gola do casaco eu espiava os meus tênis pisando nos trilhos... andei mais um bom tempo assim... nem vi o que tinha ao meu redor, fiquei só seguindo os tais trilhos perdida num monte de pensamentos. Quando eu levantei o rosto, avistei um locker de bicicletas públicas! Ainda não tinha me dado conta de que elas poderiam me ajudar numa situação como essa! Catei uma moeda enfiei no locker e catei a bicicleta: UUUUHHHUUUU!!!
Foi muuito divertido! Eu tava meio altinha do vinho, e as vezes dava aquelas desequilibradas com a bicicleta que a gente faz um zig-zag, sabe? Maior aventura! A brincadeira de estar perdida ganhou outra velocidade! Agora o meu cabelo voava, num céu muito estranho que já queria clarear. As ruas vazias e eu querendo aproveitar prá tentar dar aqueles saltinhos na guia da calçada. Foi mesmo engraçado...
Logo eu me encontrei, larguei a bicicleta no locker mais perto aqui de casa e fiz o restinho a pé. Pronto. Cheguei.

Minhas bochechas estão congeladas e eu estou louca para esquentá-las no meu edredom fofinho!
Boa noite a todos.

Blog: devaneios no circulo polar