23 de mai de 2009

Estranhezas da Irlanda


- não tem ralo
- não tem box
- tanque é artigo de luxo
- é proibido fumar nos pubs
- nenhuma fruta tem caroço
- é comum ver trocentos bêbados ao meio dia (esse povo bebe...)
- as boates fecham E-X-A-T-A-M-E-N-T-E às 2h30m
- ninguém fala com as celebridades irlandesas para não perturbá-las. Mesmo se for o Bono do U2!
- e “Bono Vox”, como nós o chamamos, é motivo de piada por aqui. Eles dizem que é coisa de brasileiro, que isso não existe. É só Bono e ponto.
- para ter televisão, é preciso pagar uma taxa anual de 150 euros para cada aparelho. Veja bem, não se trata de TV a cabo. Basta a TV existir
- pra piorar, tem o “fiscal de TV”. Um senhorzinho que vai de casa em casa ver se você tem tv e se está em dia com o governo...
- o “gato net” aqui se chama caixa mágica e é negociado com o mesmo sigilo do tráfico de drogas
- eles chamam o Kaká de Káka
- mendigo é limpinho
- caldo de feijão é molho de tomate (molho de tomaaate!)
- historicamente os irlandeses odeiam a Inglaterra, mas todos torcem por time inglês
- eles chamam vale-tudo de rugby
- ônibus não dá troco
- mulher nunca paga a conta em bar (okay, isso não é exatamente uma estranheza)
- supermercado não oferece sacolas plásticas para carregar as compras
- carrinho de compras precisa ser alugado
- são 15 dentes podres por arcada dentária
- os homens nunca chegam numa mulher antes dos “três meses” de convivência
- é tão complicado atravessar a rua que existem indicações em cada esquina: olhe para a esquerda, olhe para a direita...
- o governo paga 500 euros mensalmente, por 16 anos, para a família de cada criança gerada. Conseqüência disso é a enxurrada de adolescentes maluquetes que querem fazer uma graninha
- dessas crianças mal paridas surgem os snackers: péla sacos revoltados que se acham o zé pequeno
- aqui é feio retirar a bandeja ao fim das refeições nos fast foods
- é feio também parar do lado esquerdo da escada rolante
- banheiro não tem tomada
- tomada tem interruptor
- ninguém paga conta de água
- não existe copo com menos de 500 mL
- bairro não tem nome, mas números. Eu, por exemplo, moro em Dublin 3
- bairros pares são bons, os ímpares, ruins. Ou seja, eu continuo morando no Méier
- não existe barata
- no inverno, anoitece às 4 horas da tarde
- no verão, 11 horas da noite ainda é dia
- todas as referências de caminho são bares (até as enviadas por uma vaga de emprego)
- eles comem pipoca velha, fria e industrializada
- eles chamam Dublin de Dôblin. Dizem bôt em vez de but. E bôs no lugar de bus.
- é frio pra dedéu
- chove quase todo dia
- uma cerveja custa 6,90 euros
- mas a maior das estranhezas é não se apaixonar por este lugar


Blog: Rascunho

Um comentário:

Lu Dantas disse...

O texto é ótimo...só a Mari mesmo...ela tem um olhar singular, original e um jeito único descrever a sua verdade...Adoro!