11 de abr de 2007

Em Angola não tem ralo!

Quem disse que não há água em Luanda? Esse final de semana tive uma piscina particular em casa.

Imaginem a cena: Estava eu, sábado a tarde, por volta das 18:00 h, com o reabastecimento estabelecido por volta das 17:00 h, no computador, após a
tarde inteira de falta de água. Sérgio ou eu, vai encontrar o culpado nessas horas, deixamos uma torneira aberta. No auge da minha empolgação,
estava jogando Batlefield 1942, o meu pé fica um pouco molhado. O nosso ar-condicionado da sala está com alguns problemas e acreditei que este
estava a produzir água. Sem nem olhar para o aparelho, peguei o controle, que estava ao meu lado, e o desliguei. Voltei ao jogo claro, afinal estava
em uma batalha que ocorria no oceano, em uma ilha, bem sugestivo eh? Bom, com mais cinco minutos, o meu pé estava mais molhado ainda. Decidi
me levantar para investigar.

A muito contra gosto parei o jogo e me virei. A cena que presenciei, sinceramente me assustou, mas não mais do que a que eu estava para ver. A
sala inteira estava sob um centímetro de água. Estranhei e comecei a andar. Nesse momento escutei uma torneira, parecia vir do banheiro. Tentei
abrir a porta do banheiro, mas ela simplesmente não abriu. Vale colocar aqui que a nossa porta não esta muito legal, ao fechar, ela arrasta um pouco
no chão. Forcei um pouco mais a entrada, nada. Forcei ainda mais, foi então que a porta cedeu.
Abrindo a porta, o resultado parecia o de um filme. No banheiro havia, sem exagero, 30 cm de água. O balde do banheiro boiava igual a um
barquinho. Os peixes, nesse mar, eram duas meias e uma cueca que lá se encontravam a relaxar. A água saiu como uma onda com a abertura da
porta. A casa inteira terminou de inundar, desde a cozinha, os dois quartos, a sala toda, varanda, simplesmente tudo.

Agora vem a melhor parte, não tem ralo na casa. Isso mesmo não tem ralo. As únicas formas de escoar a água são ou pelas pias ou pela banheira.
Nessa altura a água que já estava saindo pela porta da sala, começou realmente a escoar pelo corredor. Liguei para o meu Kamba Sérgio e contei a
ele o ocorrido. Enquanto eu esperava pelo Sérgio, procurava desesperado por um ralo.
Chegaram Sérgio, Carol, Cris e outra menina que conheci no dilúvio. As meninas foram fantásticas, disseram que isso já havia ocorrido com outras
pessoas e que é até relativamente normal. Como solução, colocar a água corredor a baixo.
Começamos a limpeza e enquanto colocávamos a água para fora, os vizinhos, foram abrindo as portas, pois entrava água em seus apartamentos.

Após 50 mim, conseguimos limpar toda a casa, mas pense em um trabalho que deu. Graças as meninas, pois por mim estava molhado até agora,
passamos pano na casa e esta ficou incrivelmente limpa. Por esse lado foi bem legal.
Resultado do desastre de mais de 1 hora de torneira aberta: A casa limpinha, as escadas limpinhas, a casa dos vizinhos limpinhas, o elevador
limpinho e poças d’água por todo lado. Belo programa de sábado a noite eh? Ficamos famosos no condomínio, todos agora nos conhecem.

A partir de hoje fica instituída a festa, primeiro sábado de novembro, a Lavagem das Escadarias do Talatona.

Blog: Spíndola Blog - Angola / Luanda - Brasil / Recife






Limpeza pesada nos EUA gera problemas de saúde
Andrea Wellbaum enviada especial a Massachusetts


Carla* é uma das cerca de 100 mil brasileiras que trabalham no mercado de limpeza nos Estados Unidos (segundo estimativas de representantes da
comunidade brasileira).
Ela chegou ao país há um ano com toda a energia do brasileiro que pisa na "América" para realizar o sonho de ganhar o dinheiro que não consegue no Brasil.
"Cheguei toda empolgada, deixei até as minhas filhas no Brasil", disse. A intenção era juntar dinheiro rapidamente e, depois, voltar ao país.
Depois de três meses procurando emprego, surgiu a oportunidade: "Começamos a trabalhar com limpeza de casas para uma mulher.
Segundo Carla, os apartamentos eram tão sujos que era necessário usar uma lâmina para raspar e ácido para dissolver a sujeira impregnada nos banheiros e nas cozinhas.
Os produtos causaram uma reação no rosto de Carla, que ficou vermelho e cheio de bolhas. "O meu rosto queimava, ficou horrível. Pensei que ele nunca voltaria ao que era", lembra Carla, que passou a ser mais uma brasileira vítima de acidentes de trabalho nos Estados Unidos.


Falta de registro
Segundo Cláudia Tamsky, responsável por um projeto de prevenção de acidentes de trabalho no Centro do Imigrante Brasileiro em Boston, o problema é muito mais comum do que se imagina.
"Não temos estatísticas precisas porque a maioria não registra o caso nem nos procura", disse à BBC Brasil.
Ela cita o exemplo de um carpinteiro que procurou o centro no início deste ano depois de ter sofrido três acidentes graves. "Ele só procurou o centro porque foi demitido após o último acidente, que o deixou inválido para o serviço".
Cláudia Tamsky contou que, no primeiro acidente, o brasileiro tinha cortado um dedo com uma serra elétrica. Posteriormente, quando furava uma
parede, o parafuso bateu em uma placa de metal, ricocheteou e atingiu o olho dele, causando problemas de visão. No último acidente, ele teve um
corte profundo na mão e perdeu parte dos movimentos da mão.
"Sem poder trabalhar, foi demitido", disse.


Problema comum
No serviço doméstico, problemas como o de Carla não são incomuns.
O grande número de mulheres brasileiras envolvidas nesse tipo de função chamou a atenção de dois profissionais da área de saúde que trabalham
na região, que começaram a observar as condições de trabalho destas mulheres.
"Elas trabalham com muitos produtos de limpeza com químicos fortes, em recintos fechados. Num longo prazo eles podem causar problemas de
pele, irritação nas mucosas, nos olhos, na traquéia e problemas de respiração", diz Eduardo Siqueira, professor-assistente da Universidade de Massachusetts-Lowell.
Ele explica que, apesar de os produtos usados nos Estados Unidos serem semelhantes aos usados no Brasil, as housecleaners estão mais
propensas a contrair problemas por causa do manuseio dos produtos de limpeza.
"Elas equivalem a uma diarista no Brasil, mas na verdade aqui ela é horista, porque trabalha em várias casas no mesmo dia. A intensidade do trabalho é muito maior."
Brasileiras recém-chegadas, como Carla, chegam a trabalhar em até seis casas por dia. Uma equipe de duas a três pessoas limpa uma casa em duas
ou três horas. Como a novata normalmente chega sem falar inglês e sem conhecer a dinâmica do mercado, vira ajudante ou helper.
A helper é quem trabalha mais e ganha menos. Enquanto a housecleaner limpa a sala e os quartos, a helper fica encarregada dos cômodos mais
sujos e difíceis de limpar: os banheiros e a cozinha.
"É no banheiro e na cozinha que são usados os produtos mais potentes, como água sanitária e abrasivos. Aqui, não tem ralo, portanto, o que se limpa
no Brasil com água e sabão aqui tem de ser limpo com esses produtos", ressalta Siqueira.
"Outro problema do qual a maioria das housecleaners reclama é de dor na coluna e nas juntas. Elas trabalham muito tempo agachadas, limpando
banheira, esfregando o chão e ficam em posições desconfortáveis para chegar ao lugar onde está a sujeira", explica o professor.
Os danos à saúde das housecleaners podem ser minimizados de várias formas, sugere Siqueira: "Elas podem limpar menos casas ou adotar uma
rotatividade do trabalho dentro das casas e podem também substituir os produtos tradicionais por produtos biodegradáveis."


Cooperativa
Limpar menos casas significa uma renda menor, contrariando os planos da maioria dos brasileiros que foram aos Estados Unidos justamente para
juntar a maior quantidade de dinheiro possível.
Já a rotatividade no trabalho depende de um acordo entre os integrantes da equipe de limpeza.
"Percebemos que poderíamos ajudar, pelo menos, na substituição dos produtos de limpeza utilizados pelas housecleaners", diz Siqueira.
Com esse objetivo, foi criado o projeto da cooperativa de produtos de limpeza naturais, que faz parte do Projeto Parceria que tenta melhorar as
condições de trabalho dos imigrantes brasileiros em Boston com o objetivo de diminuir o número de acidentes de trabalho.
A coordenadora do projeto da cooperativa, Mônica Chianelli, é housecleaner e criou uma série de produtos para substituir os tradicionais "amigos"
das cleaners. Ela enumera as vantagens dos produtos, todos a base de água, sabão e vinagre: "Eles não fazem mal à saúde das cleaners nem à
saúde da família que mora na casa. E mais: não sujam o meio-ambiente."
O Centro da Mulher Brasileira, para o qual Mônica trabalha, já realizou um curso para orientar 200 housecleaners sobre os benefícios dos produtos
verdes e tentar convencê-las de adotá-los na limpeza das casas.
"Ensinamos a elas as frases básicas em inglês para elas explicarem as vantagens dos produtos para as clientes, sempre destacando a proteção do
meio-ambiente e a saúde da família", diz Mónica.
Kênia Santiago, de 30 anos, fez o curso no centro e ficou convencida que as substâncias naturais significavam uma melhoria nas condições de
trabalho dela. Mesmo assim, ela ainda faz uso dos produtos tradicionais.
"Depois do curso, passei a usar apenas os produtos naturais na minha casa, mas não posso usar nas outras casas, porque trabalho para uma pessoa.
Ela diz que tem de sentir o 'cheiro de limpeza' para mostrar que está limpo e que os produtos naturais não deixam esse cheiro", diz Kênia.
Segundo Mônica, a resistência à novidade parte principalmente das housecleaners mais experientes, que trabalham nos Estados Unidos há vários
anos.
"Elas acham que quando o lugar está muito sujo, têm de, primeiramente, tirar o 'grosso' com os produtos químicos. As pessoas que limpam há muito
tempo não precisam da nossa ajuda, mas precisam pelo menos um alerta."
O público-alvo da cooperativa, de acordo com Mônica, não são as veteranas e sim as mulheres que precisam de ajuda para abrir seu negócio, as
helpers.
A intenção é formar um grupo de ex-helpers que gerenciem a cooperativa, que funcionará como uma empresa de serviços de cleaning, que também
produzirá produtos naturais para vender.

* Carla pediu para ter seu nome trocado para não ser identificada.

BBCBrasil.com





Boneca semiótica


Mudamos também de chuveiro: o da casa nova é elétrico. Nem achei que existissem chuveiros elétricos nesta Inglaterra tão preocupada com
recursos naturais, mas parece que são mais comuns do que eu imaginava.
O mais curioso, porém, é que o nosso chuveiro um Triton T80si não tem torneira: tem botão on/off. Para começar (e terminar) o banho é preciso
agora apertar um botão. Ligar a água virou um processo digital, distante de toda a hidráulica da coisa, o que já me deixa à mercê do pior tipo de
agouro. Fico imaginando os dissabores possíveis: decerto não serão goteiras, mas é fatal que haja o dia em que o apertar do botão não será seguido
pelo jorro d'água, e aí nada restará a fazer.

O abandono do analógico implica nesse caso o fim da possibilidade da gambiarra imediata, que dispensa o conhecimento do código. É como na
passagem do vinil pro CD: pra dar um jeito num LP arranhado tem sempre a solução da moedinha na agulha; já diante de um CD que pula não há
muito o que se possa fazer sem desvendar a caixa-preta do aparelho.

De volta ao reservado: Jayne Greenwood, née Fidler, mandou refazer o banheiro nos 15 dias que separaram a partida da Ethav, antiga inquilina, da
nossa entrada na casa da Cairo Road. Ficou bonitão, branco e reluzente, mas ainda sem os suportes metálicos para toalhas, que já estão comprados
(jazem sobre o nosso armário), mas não foi possível instalar, porque a Ethav não tinha quitado a conta e a luz fora cortada, e Jayne insistiu que não
tentássemos colocar os aparatos por nossa conta, que poderíamos quebrar os belos azulejos (mesmo tendo sobrado vários, pesadíssimos, no fundo
da despensa).

A reforma deixou ainda outros pontos a desejar, por falta de bom senso, grana ou vontade política. A mangueira do chuveirinho não é longa o
bastante para alcançar o ralo da bela banheira branca, o que deixa antever contrariedades na hora da faxina. E é curta pra tomar banho segurando o
chuveirinho na mão qual um telefone, como os franceses tanto gostam (Charlotte reformou o banheiro há pouco também, e não instalou um suporte
para pendurar o chuveiro sobre a cabeça, ou seja, só dá pra tomar banho no modo telefone. Segundo Ana Luiza, ela alegou que não gostava, que
daquele jeito não tinha controle sobre a água. Essa declaração resume a relação dos franceses com a água).

A guisa de boxe, Jayne mandou colocar uma placa de vidro meio solta, que não chega ao teto e mal alcança metade do comprimento da banheira. O
contato com a parede e a base da banheira não inspira muita confiança e parece que a peça não terá carreira muito longeva naquela posição só
espero que não sucumba na nossa gestão. (É um pensamento meio fatalista, mas não consigo parar de pensar na entropia: a vocação daquela placa
de vidro não é ficar ali mal equilibrada, sujeita ao movimento dos banhistas.)

E nosso banheiro não tem ralo, claro, não que eu esperasse por isso, já que escoar a água do chão não parece ser uma preocupação relevante no
projeto dos banheiros europeus.


Blog: A Rainha que se cuide






COISAS DE NORUEGA....XV

c sabem que uma das coisas interessantes que a gente nota aqui nos jornais daqui da Noruega e que nunca tem o nome das pessoas envolvidas
nos acidentes, assaltos, brigas, etc...existe uma lei de protecao que nao permite a publicacao de nomes e enderecos em jornais...o maximo que se
sabe e o sexo, a idade e o local aonde aconteceu o fato...por um lado e bom pois protege a identidade das pessoas, mas por outro lado e negativo
pois protege a identidade dos criminosos tb...Os nomes so aparecem nos jornais, quando o(s) caso(s) ja esta(o) em julgamento na alta corte ou ja estao na TV ...ou em casos de reclamacoes,
sessoes esportivas e politicas...Lembro bem que la na minha cidade, quando acontecia algo, a gente sabia de antemao, atraves do jornais, quem fez, quem nao fez, o nome
completo, o nome dos pais, idade e ate o local que residiam...se brincasse muito, contavam ate o horoscopo ...hehehe...

xPara o Andre Cruz me perguntou como sao as casas por aqui... a maioria das casas por aqui sao de madeira...geralmente tem 2 andares ou ate
mais...as casas sao construidas sobre um pilar de concreto...encima deste pilar de concreto se constroi o porao (kjelle) que sustentara todo o peso da
casa...o restante da casa e todo de madeira..Normalmente, as paredes de madeira sao duplas e protegidas com uma fibra isolante (fibra de vidro) para manter o aquecimento interno...
construcoes mais recentes tem tb uma protecao plastica ou emborrachada entre as paredes alem da fibra de vidro...
Nos telhados, apos a armacao que sustenta as telhas estar montada, tb se usa uma protecao plastica ou emborrachada para evitar que a umidade
penetre por entre as telhas...O forro tb e sempre construido de forma que possa ser utilizado para se guardar tudo oque nao "tem muita necessidade"...casas construidas em um
unico plano nao sao muito utilizadas por aqui, mas existem....Geralmente as casas sao muito grandes, com janelas sem protecao, oque me assustou um pouco no comeco...os quartos geralmente nao sao muito
grandes, mas a sala ou salas tem que ser bem espacosas ja que e uma area em que a familia passa a maior parte do tempo...a maioria das casas tem
tb pequenas areas que chamamos "bod" e que servem para guardarmos um pouco de tudo: comida, ferramentas, bicicletas, coisas de inverno,
etc...aqui em casa temos 3 "bod" e um deles e tao grande que vai ser usado como quarto do Lollo...Muitas casas tem, hoje em dia, o aquecimento no piso, feito atraves de cabos de conducao de calor...normalmente usamos o piso aquecido so nos
banheiros, porque e uma dureza tomar banho no inverno se o chao estiver muito frio....brrrrrrrrrr....quem tem mais condicoes, tem piso aquecido em
varios comodos da casa...e confesso a voces: e uma delicia!!!...andar naquele chao quentinho...hummmmm...bom demais!!!Hoje em dia os arquitetos estao tentando mudar um pouco a imagem das casas escandinavas, construindo residencias em estilo mais moderno e em
concreto...mas nao sao todos que gostam...assim, e muito comum em meio a areas com residencias de madeira em estilo escandinavo, surgirem
imensos complexos residencias em linhas ultra-modernas...Caracteristicas de muitas das casas escandinavas:

1. Geralmente a porta principal se abre para o lado de fora...dizem que e para economizar espaco e evitar-se arrombamento...

2. Todo lugar que tem uma porta, tem uma madeira alta no chao, oque torna impossivel tentar varrer de um comodo para o outro...me falaram que e
para evitar que o frio passe por debaixo da porta... sera???...mais explicacoes alem dessa eu nao consegui...hehehe....aqui em casa tratei de tirar as
da sala e da cozinha....sem contar que o Lollo vivia tropicando nelas...uffff

3. E os ralos...vcs sabem que geralmente nao tem ralos nos pisos da maioria dos banheiros e lavanderias por aqui???....claro que tem ralo dentro do
box do chuveiro e agua escoa direto pelo cano para o esgoto...lembro que uma vez la em Hylkje, eu cismei de lavar todo o banheiro de cima para
baixo...joguei agua nas paredes, esfreguei e tal...na hora de puxar a agua, cade o ralo???...que caos!!!...tive que juntar toda a agua no pano de chao
e torcer dentro do box do chuveiro...usei um tempao e fiquei "P" da vida...hehehe...claro que tem casa que tem, mas a maioria nao tem mesmo!!!

4. As lampadas...tudo fraquinha...quanto mais fraca, melhor!!!...a impressao que da quando se olha do lado de fora da casa e que so tem abajur
ligado...mas e uma caracteristica das casas daqui...as luzes fracas fazem o ambiente parecer mais calmo e aconchegante...para quem gosta de ler,
tem sempre varias lampadas de leitura (bem fortes) em todos os cantos da casa...

5.Tanque...nem sempre as casas tem tanque...aqui em casa nao tem e muitas das casas em que ja estive, tb nao tem...uma das minhas amigas tem
porque mandou instalar...lavar tenis encardido so na pia mesmo...e que trabalhao, ainda mais quando e o "tenizinho" tamanho 46 do marido...hehehe

xx Vcs sabem que tenho notado que algumas pessoas me mandam e-mail perguntando sobre como devem fazer para vir para ca, trabalhar, ganhar
dinheiro, etc...e quando eu falo que aqui nao e lugar para quem quer ganhar dinheiro, as pessoas se chateiam ou me acham lunatica...como assim
no melhor pais do mundo para se viver, nao se pode ganhar dinheiro???...Pois lhes digo a verdade meus caros interessados...sim, a Noruega e um pais lindo, maravilhoso, seguro e tranquilo para se viver...principalmente se
vc se adapta facil a mudancas e sente que pode sobreviver ao periodo de frio...se vc gosta de ter contacto com novas culturas...aprender uma nova
lingua ...aprender sobre tradicoes..As pessoas tem muitos direitos e o social cobre muitas das necessidades de quem nao pode (ou nao quer) trabalhar....a violencia e quase zero...a
qualidade de vida e muito boa....Mas como qualquer pais do mundo, aqui tb tem seus problemas...claro que em menor intensidade que em outras partes do mundo...o governo que
corta verbas que sao essenciais para algumas areas como assistencia ao idoso e a crianca, e as utiliza em areas nao tao necessarias...o dinheiro do
social que e usado de forma errada...a demora no atendimento a doentes com problemas psicologicos ou que necessitam grandes cirurgias...a falta
de vagas nas creches...e os altossssssssssssss impostos...Claro que quanto aos impostos, a gente ate paga sem reclamar ja que recebemos muito de volta....mas garanto a vcs que e quase impossivel se
ganhar dinheiro por aqui, ou seja, fazer um "pe de meia"...a nao ser que a pessoa seja realmente muitooooooooooo economica....quem tem dinheiro
guardado aqui e porque tem economizado um pouquinho por mes durante varios anos...assim, ficar com a conta cheia de dindin da noite para o dia
(ou em poucos meses) e praticamente impossivel...Sem contar que e preciso ter visto de trabalho e moradia para se trabalhar legalmente e ter direitos como qualquer noruegues...para consegui-lo, so
se casando com noruegues (a) ou tendo uma proposta de empregador noruegues ou sendo cidadao europeu (oque da direito a morar no pais e
procurar emprego por um periodo de 6 meses)...caso contrario, esquecam!!!...viver ilegalmente aqui, nem pensar!!!...o custo de vida e alto e vc nao
tem direito a nada...sem contar que vive sempre com medo de ser mandado fora do pais...Assim, nao venham cheios de ilusoes porque nem tudo que "reluz e ouro"...


Blog: A Noruega Brasileira II





A Faxina e a barra pesada do Hispanic Harlem


Nos meu primeiro mês após os atentados Melissa Hope voltou do doutorado na França e tive que buscar um outro local para morar. O calvário
imobiliário parece não ter fimem Nova York e os preços astronômicos foram me jogando para algumas áreas bem barra pesada da cidade.

O chamado Hispanic Harlem é bem pior do que o pior do Harlem. Através de um anúncio em uma padaria achei uma vaga em um Brownstone,
prédio de tijolinhos marrons, bem tradicional da cidade. O lugar era uma república da Igreja do Nosso Senhor Cristo dos últimos Dias.

Eu nunca tinha vivido a experiência de dividir espaço com religiosos, mas achei que o lugar era limpo, seguro e bem próximo do metrô. Após os
atentados a cidade parou e o desemprego começou a bater a nossa porta. Muitos brasileiros, com medo e sem emprego decidiram voltar. Eu achava
que seria uma derrota dupla: perder para o desafio de viver lá e ainda por cima perder para os terroristas. Eu decidi ficar, sem emprego e com apenas
500 dólares no banco. A coisa ficou tão feia que entrei na fila do setor de ajuda a imigrantes da igreja católica e começei a pegar uma cesta básica
semanal. Nessa época também descobri o exército da salvação. Até os Mórmos, que não são nada bobos se seguiram até a igreja para pegar umas
latinhas de feijão.

Até ai, tudo bem, na primeira semana cada um na sua,todos solidários e prestativos. Como em toda comunidade, há regras e uma delas é a da
divisão das tarefas domésticas. Cada semana uma dupla se encarregava de limpar a cozinha, o banheiro e os quartos.
O prédio havia sido construído da década de 20 ou 30, com aquelas escadinhas de ferro que eles chamam de "saida de emergencia", mas que eu só
vi sendo usada mesmo nos filmes da TV, quando alguém invade o apartamento e há uma cena de fuga. Geralmente o cara cai em um carro
conversível e consegue escapar..aquelas coisas de cinema.

Bom..voltemos ao apartamento e ao meu primeiro dia de limpeza. Preparei os baldes, os detergentes e fui decidido a fazer bonito para causar boa
impressão. Eu era considerado o ïntelectual do local e queria apagar essa impressão mostrando que seria capaz de realizar o trabalho braçal.

Primeiro enchi o balde e joguei nos cantos para tirar a sujeira.
Olhei e cadê a água ? ..por que a água desaparece ? Onde está o ralo ? Escutei um grito, em espanhol, vindo do apartamento do primeiro andar.

Nao sei se falei, mas nossos vizinhos mexicanos faziam festas até as três da manhã. Mariaches produzem sons inexplicáveis e inreproduzíveis. Por
várias vezes havia ligado para polícia para tentar dormir em paz, mas agritaria recomeçava assim que os policiais saissem do local.

Adonis,um dos meus roommates,veio correndo da sala assim que perguntei pelo ralo. "Ahhmm Marco..esqueci de te avisar.. não tem ralo.." disse em
tom professoral. "aqui na América a gente nao pode lavar banheiro nem cozinha..e tudo de formiplac e incha,vaza para a casa do vizinho.

Paralisado com o balde e a vassoura na mão, fiquei rindo do estrago que deveria ter provocado no apartamento dos mexicanos. Constatei pelo teto
do nosso banheiro, já inchado da humidade causada pela banheira do andar superior. "tem que ser tudo com paninho molhado" me explicou
Adonis.

Lembrei da última faxina que Yolanda, minha amiga lá no Rio, fez no meu apartamento. Yolanda jogava baldes de
água..limpa..limpa..limpa..cera..cera.enceradeira. Horas, o dia inteiro Pensei no desespero de Yolanda, se estivesse aqui, ao encarar uma limpeza
sem balde, sem água, só com paninhos.Bom..quanto aos mexicanos...bem..eles mereceram um balde de água fria para pagar as noites em claro que
passei ao som dos mariaches.


Blog: conectando pessoas





NÃO!


Fui colocar as panelas pra lavar na máquina, botei o sabãozinho, fechei a porta, boto a água na temperatura máxima (louça de peixe, faz idéia),
começo a cantar lalarila enquanto estendo as roupas no varal - é, vida de dona de casa, pensa o quê?

Volto na cozinha pra roubar mais uma rosquinha do pote e alimentar minhas LULITES e me deparo com o dilúvio. A dishwasher estava vomitando
água fervendo com cheiro de peixe no chão da minha cozinha, e óia, COZINHA INGLESA NÃO TEM RALO.

Ainda bem que era salmão, né.Já que é pra sifudê, pelo menos a gente sifode chic.

Blog: sherrys0da




Ufa! Consegui respirar! Peguei um trabalho de 3 semanas, da 00:00 as 7:00 da manha, todo dia inclusive final de semana... mas com uma folga no
meio da semana. Ta bem cansativo mas vai valer a pena. $ :)

Esses dias resolvi que iria escrever sobre as coisas que estou aprendendo aqui na Austrália.
A Austrália é um país de todos, onde a imigração ainda é totalmente aberta e vc conhece gente do mundo inteiro. Aprendi a dar valor as frutas...
Depois de ver que custa 16 dolares o Kg da banana, nunca mais vou deixar elas apodrecerem na cesta... Jogar o papel higienico na privada é normal
por aqui e não entope! (nao existem lixos nos banheiros do lado da privada) Tomar agua da torneira nao faz ninguem morrer. Lave o carro e regue o
jardim com mangueira no domingo e receba uma multa em casa na segunda. (A multa vem MESMO e racionamento é coisa séria). Nunca atravesse
a rua fora da faixa de pedestres ou no sinal vermelho... as chances de vc levar uma multa são de 70%. Nao fure fila, uma das maiores faltas de
respeito. Use SEMPRE thank you e please... mesmo que sejam pra coisa minimas, com certeza nunca sera o bastante. Reciclar o lixo é dever de
todos! Caminhao de lixo? Uma vez por semana e olha la... Mercado tem suas curiosidades.... Va no "final do dia" 19:00 e compre as comidas frescas
do dia da metade do preco pra baixo.... Vc soh entra na sessao de bebidas alcoolicas se for maior de 18 anos. O chocolate que vc paga cada 1,90 no
outro dia pode estar na promocao 2 por 2,00... mas no outro dia volta ao normal! Vai entender esse marketing australiano. Na hora de pagar, o caixa
sempre pergunta se vc quer "cash out" ou seja, sacar alguma grana do cartao que vc esta passando, sem nenhuma taxa.... e pergunta se vc precisa
MESMO uma sacola... ecologia também é coisa séria. Não interessa se vc é faxineiro (viva nóis!) ou um gerente de banco... todos tem o mesmo
padrao de vida e tem acesso pra fazer as mesmas coisas... tem casa, carros e filhos... de preferencia gemeos! Rodo? Nao tem pra vender... pra que
se o banheiro nao tem ralo fora do box? Um paninho umido ta loco de bom pra limpar.... É emocionante qdo vc encontra alguem tem que avós
australianos.... Por ser um pais imigrante e novo, sempre os pais ou avos são de outros paises... Aprendi que os japoneses são sistematicos demais,
os chineses atrapalhado, os indianos afobados , os koreanos tem o mesmo humor dos brasileiros, os colombianos gostam de ir pra aula bem
arrumados e os brasileiros... agitados demais (como diriam os professores hehehe) Gosta de coca-cola? No mercado a latinha custa de 0,40 a 0,60
cents. E se vc vai no HungryJack (Mc donalds australiano) e compra um "numero", pode tomar quanto de coca quiser pq a maquina de refri fica do
lado de fora do caixa. Imagina isso no Brasilzao... hehe O onibus nao tem catraca, quem cobra a passagem é o motorista mesmo.... fila de velhinhos?
tenha paciencia... pois o cobrador vai cobrar de todos e ainda explicar o ponto que eles tem que descer... pra depoissss voltar a dirigir. Antes dos
primeiros bancos, tem dois lugares estilo "guarda-volumes" pra vc deixar suas coisas (compras, notebooks, mochilas pesadas). E vc pensa que
alguém mexe? Transporte publico é pra ser usado... por isso a maioria dos trabalhores (principalmente executivos) deixam seus carros na garagem e
vão de onibus, trem ou tram trabalhar. Ir de bicicleta (toda equipada e com roupas proprias) pro trabalho tb é coisa comum entre os executivos, mas
chega no trabalho e só coloca o terno... banho só em casa e a noite. Comércio fecha as 17:00 (tudo, ateh shopping), as 19:00 as ruas ja estao vazias e
silenciosas (principalmente nos bairros), criancas na cama e tem mercados que fecham as 20:00... No posto, não espere frentista... mto menos
lavarem seu carro. Vc mesmo abastece e lava seu carro, verifica oleo, agua....
Foi isso que lembrei agora... quem sabe depois eu lembre mais!Vou colocar um video que fiz com os "melhores momentos" desses 3 meses e
meio...É isso ai! Bjos e abraços com saudades! Cheers!


Blog: plinetsnaaustralia



Apartamento

Meu primo Edinho me ajudou a encontrar um apartamento para alugar aqui. Aluguel nos EUA e muito caro. Mil dolares por mes, por um apartamento
de dois quartos. Mas gosto do apartamento, do condominio, da localizacao. O apartamento, alem dos dois quartos, tem dois banheiros, uma cozinha,
sala/copa e, como e terreo, tenho varandas e jardins. O condominio tem piscina e duas quadras de tenis. Mas como e muito frio aqui, nao chegamos
a usar a piscina.

Algumas particularidades das moradias daqui - todos os banheiros tem banheira. Nao tem tanque. As casa nas quais ja estive tambem nao tem. Os
apartamentos nao tem area de servico. Tem lavanderia comunitaria (compramos um cartao e adicionamos creditos - 5, 10 ou 20 dolares- e entao
usamos o cartao nas maquinas - lavadora e secadora. Nao tem tanque na lavanderia tambem...). Na lavanderia do meu bloco tem 3 lavadoras e 3
secadoras. As moradias ja vem equipadas com fogao, exaustor, geladeira e lavadora de louca ( nao precisamos comprar isso. Os armarios sao
enormes!

Contratei uma linha telefonica e internet. Tenho TV a cabo ( ja incluida no aluguel). Muitas pessoas contratam o canal Globo ( Sim, a Globo do Brasil!).
Eu nao quis fazer isso porque, como vim desenvolver o meu ingles, assistir aos canais americanos vai agilizar o processo.

Moveis - nao precisa comprar, se nao quiser. E possivel encontrar praticamente de tudo, de graca. Ou pode-se ir a um yard sale e comprar bem
barato(tenho uma TV a cores que custou 2 dolares!). Yard sales sao vendas de moveis e utensilios usados que as pessoas fazem em seus jardins,
para se livrar do que nao querem mais. Alem disso, a caridade aqui e muito organizada. Ha lojas do Salvation Army(Exercito da Salvacao) e Good
Will, onde pode-se comprar varias coisas usadas por um preco simbolico. Mas leva um certo tempo para se encontrar o que se quer, e claro. No meu
caso, comprei algumas coisas em promocao, outras em yard sales e tenho algumas coisas que meu tio me emprestou. Ah! Ha tambem lugares para
onde as pessoas levam donativos (moveis, roupas, utensilios, livros, revistas, objetos de decoracao) e pode-se ir ate la e, simplesmente, escolher o
que se quer e levar para casa sem pagar. Alem de encontrarmos varias coisas que as pessoas colocam nas calcadas para quem quiser levar
(eletrodomesticos, moveis). Coisas boas, praticamente novas. Elas simplesmente jogam fora e compram tudo novo muito frequentemente. E viva o
consumismo americano!

A limpeza e muito diferente aqui. Usa-se spray e toalha de papel, praticamente. E, e claro, aspirador de po. Nao tem ralo nos banheiros e cozinhas.
Portanto, nao se pode lava-los como fazemos no Brasil. Nao se passa roupa!
Aqui e muito comum as pessoas dividirem o aluguel. As vezes alugam casas bem grandes e cada um fica com um quarto. Porem, eu e o Andre
moramos sozinhos. Gostamos da nossa privacidade.


Blog: Flavia/USA




Uma historia de Natal...

Essa merece ser contada... De manha todo mundo foi trabalhar, pq aqui nao tem sabado, domingo e dia de natal, todo dia e dia de trabalho... Eu sai do trabalho as 15h30 e vim
aqui pro Vista pra ter certeza que tava tudo certo pra ceia de natal a ser sediada nos meus vizinhos brasileiros... Tava tudo certo, o peru a mae do
Bruno (um dos meus vizinhos) que esta visitando tinha ido comprar no Publix e tinha comprado tmb pure de batata, gravy e mais umas coisas
estranhas...So faltava uma SOBREMESA!! Mas isso nao seria problema... Esperei a Mi chegar do trabalho e resolvemos ir fazer as compras pra tal da
sobremesa... Iamos fazer Mousse de Chocolate e de limao...Assim que chegamos um problema se impos... Como e que vamos achar leite condensado e creme de leite pra fazer o mousse???Com tal obstaculo imposto a gente resolveu mudar a sobremesa e a Mi fez uma nova receita: massa de torta holandesa + brigadeiro + sorvete +
chocolate crocante por cima... Tudo para ficar bom, ne? So faltava achar o leite condensado e a bolacha maizena pra fazer a massa... Mas nao foi que
achamos??? Depois de fucar cada prateleira ate o talo achamos os dois ingredientes e voltamos para casa...As perspectivas eram boas...Comecamos a amassar a bolacha (pq tinha que virar tipo uma farofa), mas eta bolacha dura... A mi ainda disse, "se a gente tivesse uma luva! Mas
amassar assim com a mao doi mto!! ". Foi entao que eu tive a brilhante ideia de pegar um pote medidor e amassar com ele!! Ate que deu certo,
mas.... E A MANTEIGA???Pois e minha gente, nao tinha manteiga pra fazer a massa e a gente tinha esquecido de comprar... E a preguica de voltar pra comprar?! Esta tava
grende... A Mi queria que eu fosse bater nos vizinhos brasileiros que a gente nao conhecia pra ver se eles tinham pra emprestar, mas eu nao queria
ir. Entao a minha outra rommie chegou e ela que nem ia jantar com a gente foi pedir a manteiga, mas nao tinha ninguem no ap...Eu fui pedir no ap de uns americanos que moram no nosso predio mas tmb nada... Eles tmb nao tinham manteiga...A Mi comecou a fazer o brigadeiro, mas eu convenci ela a ir comprar a manteiga!!!Entao eu continuei fazendo o brigadeiro... E ele nunca ficava pronto!! Numa dessas eu cansei e aumentei o fogo... E num e que queimou???!!!! So
um pouquinho no fundo, mas ficou moh gosto de queimado no brigadeiro inteiro.. E agora? Tinhamos a manteiga, mas o brigadeiro estava
queimado.... Vai o brigadeiro queimado mesmo!! hahahah...Fizemos a massa, colocamos no forno. E ela nao ficava dura, NUNCAAAAAA..... Eu fiquei sentada do lado do forno falando no telefone mais de uma
hora e nada dela ficar pronta!!! Parecia que tudo tava conspirando pra sobremesa nao dar certo, mas a gente nao desistiu!!! Desligamos o forno e
depois de deixar esfriar um pouco colocamos o brigadeiro, o sorvete e as bolinhas de chocolate e colocamos no freezer.Depois de um tempo fomos pra casa dos nossos vizinhos... Ainda faltava um tempo pro jantar pq tinhamos que esperar um amigo chegar do trabalho
e ele so ia chegar la pelas 2h30 da manha...E qual e a nossa surpresa qdo ao chegar la o peru esta na pia!!!!!! PQ? Pq como nao tinhamos vasilha eles colocaram numa panela e colocaram no
forno pra esquentar, so que o cabo da panela quebrou e o peru (que era enoooorrrrmmmmeeee) foi parar no pia para nao parar no chao!!! Sem
contar que o chao ficou cheio de gordura no peru... Por isso vcs podem ver o Andre limpando o esfregao na banheira, pq por todos os motivos mais
idiotas possiveis, na cozinha nao tem ralo!!!Bom, salvamos o peru, limpamos o chao, pra felicidade de todos a sobremesa deu certo e pra minha e da Mi todo mundo elogiou a nossa invencao!!
Ficou bom mesmo...Acho que foi so isso que aconteceu... heheh... Se eu lembrar de mais alguma coisa eu escrevo de novo!!

Blog: Ni Leirner

Nenhum comentário: